Ensino por narrativas: Diversidade sexual e de gênero

Estado: Paraná (PR)

Etapa de Ensino: Ensino Médio

Modalidade: Educação de Jovens e Adultos, Educação Regular

Disciplina: Artes, Biologia

Formato: Presencial

O CEPAC é uma organização não governamental, fundada em Curitiba em 20/12/1995, que tem como escopo a realização e o enfrentamento de questões relacionadas a projetos sociais na área de saúde, educação e direitos humanos. O CEPAC atua na sensibilização sobre o uso indevido de drogas, sexualidade responsável, gravidez na adolescência, respeito à diversidade humana e prevenção das ISTs e do HIV/Aids, junto a lideranças comunitárias, jovens, adultos, profissionais da educação, da saúde, e do sexo, e também com a comunidade LGBTI+. A instituição possui experiência na execução de projetos e programas, mantendo parcerias com os governos municipal, estadual e federal, e entes privados. Atualmente, o projeto “Educação Inclusiva para Jovens LGBTQIA+: direitos, questões de gênero e sexualidade, e suas interseccionalidades”, está realizando ações didáticas com jovens, especialmente LGBTQIA+, em colégios da rede pública de Curitiba, tratando temas relacionados às questões de gênero e sexualidade. As ações serão realizadas até final de março de 2024, buscando fortalecer a educação, diminuir os índices de violência, oferecer informações confiáveis e oportunizar o diálogo entre pares.

Objetivos

Objetivo geral:
- Compreender a importância da inclusão e do respeito às diversidades como forma de mitigar preconceitos e violências ainda presentes na nossa sociedade, reconhecendo o próprio papel na redução da intolerância contra grupos da comunidade LGBT+, além de perceber as diferentes vivências existentes dentro da própria comunidade.

Objetivos específicos:
- Respeitar a diversidade de valores, crenças e comportamentos relativos à sexualidade, reconhecendo e respeitando as diferentes formas de orientação sexual e o seu direito à expressão, garantida a dignidade do ser humano;
- Identificar e repensar tabus e preconceitos referentes à sexualidade, evitando comportamentos discriminatórios e intolerantes e analisando criticamente os estereótipos;
- Reconhecer como construções culturais as características socialmente atribuídas ao masculino e ao feminino, posicionando-se contra discriminações a eles associadas.

Conteúdo

- Sexo biológico;
- Orientação sexual;
- Identidade de gênero;
- Expressão de gênero;
- Respeito à diversidade;
- Combate à LGBTI+fobia.

Metodologia

A intervenção seguirá a metodologia de ensino baseada em narrativas, conforme exposto por Cunha (1997). Inicialmente, as/os estudantes serão divididas/os em 9 grupos e cada grupo receberá um card contendo oum trecho de música. O primeiro momento será de análise dessas músicas dentro dos grupos (15min) e, posteriormente, a discussão com toda a turma com breves relatos de cada grupo sobre o trecho que recebeu. Ao longo da discussão (40min), os mediadores podem levantar questões sobre quem escreveu a música, sobre eu-lírico e sobre as vivências dessas pessoas, perguntando se já conheciam algum/a cantor/a ou alguma obra, e discutindo sobre os conceitos de sexo biológico, orientação sexual, identidade de gênero e expressão de gênero. Com isso, é possível, ainda, trabalhar sobre a diversidade de identidades e vivências dentro da própria comunidade LGBTI+, além da importância de respeitarmos as diferenças existentes entre as pessoas.
Após as apresentações e discussões, o segundo momento consistirá na produção de um material artístico (20min), podendo ser individual ou em grupo, sobre suas vivências particulares ou o que entenderam com os trechos das músicas e a discussão. O material pode ser um desenho, texto curto, poema, dramatização ou colagem, ficando a critério de cada pessoa ou grupo. Nos 15 minutos finais da intervenção, os/as estudantes que se sentirem à vontade serão convidados/as para ocupar a posição dos mediadores, apresentando o material artístico que produziram para toda a turma.

Trechos de músicas sugeridos:
Carta pra mãe, por Ana Gabriela
"Ela falou
De uma garota Ela sorriu
Como nunca
Sua mãe falou
Que se assustou
Não era o que
Ela sonhou"

Liberdade, por Analaga e Gloria Groove
"Não parece certo alguém
Que tem asas ser colocado
Dentro de uma caixa sem ver
A luz do sol brilhar [...]
Enfim a liberdade me ouviu
E abriu aquela caixa onde eu estava
Tentei voar, mas minhas asas
Não funcionavam mais"

Meninos e Meninas, por Legião Urbana
"Tenho quase certeza que eu não sou daqui [...]
E eu gosto de meninos e meninas
Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre
Vai ficando complicado e, ao mesmo tempo, diferente"

Sol no peito, por Nick Cruz
"Almas que mentem e se escondem
Atrás de um codinome
Eles querendo consumir meu corpo enquanto eu
Só quero mudar de nome
Só quero paz e respeito
Só quero viver na sombra depois de tomar sol no peito"

Oração, por Linn da Quebrada
“Eu determino que termine em mim, mas não acabe comigo
Determino que termine em nós e desate
E que amanhã, que amanhã possa ser diferente pra elas
Que tenham outros problemas e encontrem novas soluções
E que eu possa viver nelas, através delas e em suas memórias”

Elevação Mental, por Triz
“O mundo é de todos, não seja prepotente
Seja gay, seja trans, negro ou oriental
Coração que pulsa no peito é de igual pra igual
O individual de cada um não se discute
Seja elevado, busque altitude”

Aceita, por Gali Galó
“Me disseram uma vez
Que eu não podia fazer planos
Nem amar você
Acontece que no inverno
Quando chega a saudade
Eu quero te ver
Me vestiram de um jeito
Que eu penso que não quero

Não é comum, mas é normal, por Lan Lanh e Nanda Costa
“Por que você não aceita e vai
Viver a sua vida?
Amor de igual é igual, normal Não faz mal, nenhum
Não fique triste
Mas nem de brincadeira
O amor é bom e amar é”

Flutua, por Liniker e os Caramelows
“O que vão dizer de nós?
Seus pais, Deus e coisas tais
Quando ouvirem rumores do nosso amor?
Baby, eu já cansei de me esconder
Entre olhares, sussurros com você
Somos dois homens e nada mais”

Recursos Necessários

- 9 cards com letras de músicas;
- Papel, caneta, lápis, borracha, lápis de cor, entre outros materiais de artes;
- Manual de educação LGBTI+, para consulta pela equipe pedagógica: <https://cedoc.grupodignidade.org.br/enciclopedia-lgbti/02-manual-de-educacao-lgbti/>
- Datashow, caso o recurso esteja disponível.

Duração Prevista

1 encontro de 1 hora e 30 minutos, ou 2 aulas de 50 minutos.

Processo Avaliativo

A avaliação se dará por participação dos/das estudantes na leitura dos textos, discussões e produção do material proposto.

Observações

Essa proposta educacional busca divulgar o conhecimento para uma sociedade com igualdade efetiva em direitos e cidadania, livre de discriminação e violência, independentemente da orientação sexual e identidade/expressão de gênero.

Referências Bibliográficas

Galó, Gali. ACEITA. Intérprete: Gali Galó. Compositor: Gali Galó. In: GALI Galó. Intérprete: Gali Galó. [S. l.]: Gali Galó; distribuído por Tratore, 2023. (4min41s).

Ana Gabriela. CARTA para mãe. Intérprete: Ana Gabriela. Compositor: Ana Gabriela. In: SINGLE. Intérprete: Ana Gabriela. [S. l.]: Deck, 2018. (2min38s).

CUNHA, Maria Isabel da. Conta-me agora!: as narrativas como alternativas pedagógicas na pesquisa e no ensino. Revista da Faculdade de Educação, v. 23, p. 185-195, 1997. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rfe/a/ZjJLFw9jhWp6WNhZcgQpwJn/?lang>. Acesso em: 15 mai. 2023.

Triz. ELEVAÇÃO Mental. Intérprete: Triz. Compositor: Beatriz Souza Rutzats Pereira. In: SINGLE. Intérprete: Triz. [S. l.]: Editora Casa da Árvore, Carlos Henrique Rolfsen Belda/Pedro Salles Santiago, 2017. (5min53s).

Johnny Hooker, Liniker e os Caramelows. FLUTUA. Intérprete: Johnny Hooker, Liniker e os Caramelows. Compositor: Johnny Hooker. In: CORAÇÃO. Intérprete: Johnny Hooker. [S. l.]: Johnny Hooker, 2017. (5min12s).

Analaga, Gloria Groove. LIBERDADE. Intérprete: Analaga, Gloria Groove. Compositor: Priscilla Alcantara. In: SINGLE. Intérprete: Analaga, Gloria Groove. [S. l.]: Analaga, 2019. (3min31s).

Legião Urbana. MENINOS e Meninas. Intérprete: Legião Urbana. Compositor: Renato Russo, Marcelo Bonfa, Dado Villa-Lobos. In: AS QUATRO estações. Intérprete: Legião Urbana. [S. l.]: EMI Music Brasil Ltda, 1989. (3min23s).

Lanh, Lan, Nanda Costa. NÃO é comum mas é normal. Intérprete: Lan Lanh, Nanda Costa. Compositor: Lan Lanh, Nanda Costa. In: SINGLE. Intérprete: Lan Lanh, Nanda Costa. [S. l.]: Lan Lanh / Nanda Costa / Dubas, 2018. (3min25s).

Linn da Quebrada. ORAÇÃO. Intérprete: Alice Guél, Danna Lisboa, Jup do Bairro, Liniker, Linn da Quebrada, Urias, Ventura Profana, Verónica Decide Morrer. Compositor: Linn da Quebrada. In: SINGLE. Intérprete: Linn da Quebrada. [S. l.]: Linn da Quebrada, 2019. (3min59s).

REIS, T.; CAZAL, S. (Org.). Manual de Educação LGBTI+ [livro eletrônico], Enciclopédia LGBTI+, v. 2. Curitiba: IBDSEX, 2021. Disponível em: <https://cedoc.grupodignidade.org.br/enciclopedia-lgbti/02-manual-de-educacao-lgbti/>. Acesso em: 15 mai. 2023.

Nick Cruz. SOL no peito. Intérprete: Nick Cruz. Compositor: Mun-Ra, Nick Cruz. In: SINGLE. Intérprete: Nick Cruz. [S. l.]: Warner Music Brasil Ltda, 2021. (3min3s).

DOWNLOAD