Encontro debate educação e interseccionalidade

Publicado em 4 de novembro de 2015

A Ação Educativa recebeu o primeiro encontro do curso Educação, Direitos Humanos, Gênero, Sexualidade e Raça.

IMG_3813

Da esquerda para a direita: Sylvia Cavasin, Suelaine Carneiro, Ingrid Leão, Maria Falcão, Denise Carreira e Jaqueline Santos

Os alunos puderam participar de dinâmicas de convivência organizadas por Maria Falcão, assessora da Ação Educativa, que abordavam a inserção dos indivíduos em diferentes grupos sociais, a partir de suas características de gênero, raça, sexualidade, classe social e como cada um pertencia a mais de um grupo simultaneamente. Isso ajudou a introduzir a ideia da interseccionalidade nas relações humanas, que serviria para iniciar o debate do curso.

Direitos Humanos
Após as apresentações e dinâmicas iniciais, o grupo teve uma introdução à história dos Direitos Humanos, com fala de Denise Carreira, coordenadora da área de educação da Ação Educativa e Relatora Nacional de Educação. Na fala, foram abordados temas como a importância dos direitos humanos, os marcos históricos e tratados internacionais que dão suporte jurídico às iniciativas de promoção dos direitos humanos nas escolas e como essas conquistas são objetos de disputa nos dias de hoje.

Sexualidade
A segunda apresentação ficou por conta da cientista social Sylvia Cavasin, que tratou da questão da sexualidade e diversidade sexual e de gênero, acrescentando a importância desses temas para a criação de um ambiente escolar inclusivo e saudável, seja criando espaços de promoção da igualdade de gênero, ou através do respeito à diversidade sexual e de identidades de gênero.

Raça

O terceiro tema introduzido aos alunos foi a questão racial, através da fala de Jaqueline Santos, mestre em Ciências Sociais. Ela traçou um panorama histórico do racismo no Brasil e explicou de que forma os marcadores ideológicos contribuem para a desigualdade racial.

Interseccionalidade 
A socióloga Suelaine Carneiro falou sobre a importância da interseccionalidade para a construção de políticas sólidas de promoção da igualdade, explicando de que forma gênero, sexualidade, raça e outros marcadores sociais tem importância na construção das identidades. Segundo ela, o grande desafio, hoje, é conseguir conceber todas as desigualdades que estão presentes em uma mesma situação.

Encerramento
A fala de encerramento foi de advogada Ingrid Leão, que complementou os temas anteriores e abordou as concepções de família e de maternidade, no imaginário da sociedade, questionando de que forma religião e sociedade criam tensões nas construções de direitos. Foi também mostrado o curta “Maria da Penha, um caso de Litígio Internacional” que retrata a história da brasileira que inspirou uma lei sobre violência contra mulheres depois de uma tentativa brutal de assassinato pelo marido. O curta foi produzido pelo Comitê Latino-americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher e está disponível no youtube: