Diversidade de gênero: mudanças de paradigmas na sociedade contemporânea

Publicado em 30 de setembro de 2016

Instituição responsável: Colégio Estadual Almirante Frederico Villar

Estado: Rio de Janeiro
Município: Arraial do Cabo
Resumo do projeto:
As escolas de Arraial do Cabo apresentam alunos e alunas homoafetivos. Com eles surgem questões sociais na esfera da educação, da família e da comunidade, que necessitam ser analisadas e refletidas. Esses jovens apresentam dúvidas em relação a seus direitos constitucionais, dúvidas em relação à sexualidade, insegurança nas relações sociais. O mesmo se dá em relação aos familiares e à comunidade em que vivem. A ação proposta é contribuir para uma melhor compreensão dos vários aspectos envolvidos neste fenômeno social, de tal forma que a informação e o conhecimento nos levem a uma conduta social de respeito e reconhecimento do caráter multifacetário da sociedade brasileira. Até 2009 não fora registrada nenhuma iniciativa de trabalhar a questão na comunidade e na escola.
Metodologia:
A partir do curso Gênero e Diversidade na Escola, promovido pelo MEC, foi elaborado o projeto buscando atender um dos objetivos do Governo Federal na área da educação: a disseminação do conceito diversidade como conceito-chave para a superação dos diversos níveis de discriminação e preconceito que permeiam as relações sociais. Este projeto dá visibilidade à responsabilidade da escola pública, laica, enquanto promotora do conhecimento e dos processos de socialização na sociedade, e oferece um olhar científico, sociológico e filosófico e não pautado no senso comum. Este projeto exclui as palavras aceitação e tolerância e as substitui pelas palavras respeito, compreensão, conscientização, ética e conhecimento. Parte-se do pressuposto de que cada família, cada cidadão, com seus valores morais, sociais e religiosos, com suas orientações ideológicas, possui o direito constitucional e filosófico de seguir seus princípios e o dever de seguir as normas constitucionais que regulam a convivência social. Realizou-se uma mesa redonda no Colégio Municipal Francisco Porto, onde foram colocados os diversos aspectos da questão pela via do Direito do cidadão. A mesa contribuiu para uma melhor reflexão e compreensão sobre a questão da homossexualidade na escola. Foi fundamental a preparação prévia de todos os profissionais envolvidos. A diretora observou que os alunos, após a mesa, começaram a olhar a escola como mais companheira, mais amiga. O instrumento para colher dados foi o questionário fechado, com o objetivo de perceber como as pessoas viam a questão da homossexualidade. Outro instrumento foi a própria interatividade da mesa e das palestras em outros locais e instituições. Depois destas apresentações foi elaborado um workshop, pois havia a necessidade da troca de experiências, de falar e ouvir sobre dificuldades pessoais, para juntos encontrar meios de melhorar o convívio social.
Categoria: Sexualidade
Público: Adolescentes
Outras informações úteis: Programa Mulher e Ciência – 8º Prêmio Construindo Igualdade de Gênero/SPM – Categoria Escola Promotora da Igualdade de Gênero