Curso debate “Gênero na Educação Básica”

Publicado em 1 de dezembro de 2015

IMG_4107

As palestras perpassaram temas como educação de bebês, feminismo no ensino médio e educação inclusiva.

O curso Educação, Direitos Humanos, Gênero, Sexualidade e Raça debateu, no dia 7/11, sobre Educação Básica. As unidades começam sempre com uma dinâmica de grupo, coordenada por Maria Falcão, da Ação Educativa, para depois receber convidados de diversas áreas para falar sobre o tema.Confira abaixo os resumos das apresentações:

Educação infantil

A psicóloga Cizele Ortiz abriu a rodada de palestras falando sobre sua experiência com a educação de bebês e crianças e como essa educação deve ser voltada para permitir um desenvolvimento pleno e livre de discriminação. Ela aborda desde o processo de construção do sujeito que será a criança, até o papel das expectativas dos pais e do ambiente escolar nesses processos, destacando de que forma propostas pedagógicas discriminatórias  na criação de bebês e crianças tem papel fundamental na perpetuação da desigualdade de gênero. Saiba mais sobre palestra clicando aqui.

Ensino Médio

A socióloga Sandra Unbehaum , diretora do Departamento de Pesquisas da Fundação Carlos Chagas, abordou um relato de pesquisa da qual participou como consultora, coordenada por Maria José Rosado, uma das fundadoras pela Católicas pelo Direito de Decidir e professora da PUC na área de ciências da religião, através do Grupo de Pesquisa, Gênero, Religião e Política, fruto de um trabalho coletivo. O título inicial do projeto era Ensino de Ciências Humanas, Gênero, Feminismo e Cidadania, com o objetivo geral de analisar a presença da crítica feminista das desigualdades de gênero na educação básica, em particular nos materiais e cadernos do ensino médio, na sociologia, bem como verificar de que maneira as questões religiosas se apresentam.Clique aqui para saber mais.

Pessoas com deficiência

Liliane Garcez, psicóloga, mestre em educação e assessora em educação inclusiva, fala sobre as dificuldades de se tratar das questões de gênero quando se fala de educação para pessoas com deficiência. Essa invisibilidade prejudica o avanço da busca por uma educação verdadeiramente inclusiva, o que acaba prejudicando ainda mais as mulheres com deficiência. Ela cita a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência como uma base para se e destruir as barreiras que impedem o pleno acesso dessa população a educação de qualidade. O texto completo está aqui.

Oficina

Após o debate dos temas, os alunos tiveram uma oficina com a socióloga Sandra Unbehaum sobre desigualdade, na qual foi apresentado o filme Severina, que fala sobre as sertanejas titulares do Bolsa Família, e como elas estão começando a transformar seus papéis na família e na sociedade do interior do Piauí e se libertando da servidão ao homem, milenar como a miséria. O documentário completa está aqui: